sábado, 31 de dezembro de 2011

ANO NOVO DO SENHOR DE 2012

Desejo a todos os que acessam, seguem e deixam comentários neste blog, um santo e feliz ano novo, cheio das bençãos de Deus.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Família: Igreja doméstica

Celebramos neste dia 30 de dezembro a Festa da Sagrada Família de Nazaré, exemplo para todas as famílias do mundo inteiro.
Sabemos que nos tempos atuais as famílias tem passado pro diversas dificuldades, é o adultério ou a separação dos pais, as drogas que tiram o futuro dos jovens, o vício do álcool, e várias outras realidades de morte e destruição.E como pode uma família assolada de tantos males ser Igreja doméstica? Deus instituiu a família para que vivesse no relacionamento profundo de amor, de respeito, de diálogo e de compromisso de um para com o outro.
Celebrar a Sagrada Família de Nazaré é também celebrar nossa missão de família, que é levar Deus para o mundo. Entreguemos a Deus nossas famílias e as do mundo inteiro, para que sejam templos de amor, paz e alegria, e também sinal do Reino de Deus em meio a nós.
Jesus, Maria e José, minha família vossa é!
(Algumas passagens foram tiradas do "Deus Conosco Dia a dia" mês de dezembro/2011)

sábado, 24 de dezembro de 2011

Natal do Senhor Jesus

"Deus não se limitou a inclinar o olhar para baixo, como dizem os Salmos; Ele 'desceu' verdadeiramente, entrou no mundo, tornou-se um de nós para trair a todos a si. Este menino é verdadeiramente o Emanuel, o Deus-Conosco. O seu reino se estende até aos confins da terra."
( Bento XVI, 24/12/2010)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Novena de Natal 2011

A novena de Natal inicia-se dia 16 de dezembro e vai até a véspera (24 de dezembro). A solenidade do Natal prolonga-se por oito dias após o dia 25, inclusive: é a Oitava do Natal. Rezemos juntos esta novena, preparando nossos corações para a grande festa do nascimento do Senhor Jesus.


PRIMEIRO DIA

Oração (para todos os dias):
Ó Jesus vivendo em Maria
vinde viver em vosso servo
com o espírito de vossa santidade
com a plenitude de vossas forças
na retidão de vossos caminhos
na verdade de vossas virtudes
na comunhão de vossos mistérios
para dominar as forças adversas
com o vosso Espírito, para a glória do Pai. Amém.
Texto Bíblico: (para meditação)São Marcos I,1-8
“Princípio do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus.  Conforme está escrito no profeta Isaías:  Eis que envio o meu anjo ante a tua face, o qual preparará o teu caminho diante de ti.  Voz que clama no deserto:  Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.  Estava João batizando no deserto e pregando o batismo de penitência para a remissão dos pecados.  E ia ter com ele toda a terra da Judéia e todos os de Jerusalém, e eram batizados por ele no rio Jordão, confessando os seus pecados.  E João andava vestido de pele de camelo e trazia uma cinta de couro em volta dos rins e comia gafanhotos e mel silvestre.  E pregava dizendo:  Vem após mim quem é mas forte do que eu, ao qual eu não sou digno de desatar, prostrado em terra, a correia dos sapatos.  Eu tenho-vos batizado em água, ele porém vos batizará no Espírito Santo.”
Hino litúrgico:  
Vem do alto o Verbo
do Pai no tempo eterno
ao entardecer da terra
vem para salvar.
Do demônio o abraço
queremos escapar
E junto com os beatos
a Vós sempre louvar.  
Iluminai a alma
que arde em vosso amor
Ao som da vossa vinda
purificai a dor.  
Ao Pai e ao Filho glória
ao Espírito também
Louvor honra e vitória
nos séculos. Amém
Depois quando vierdes
julgar os corações
Castigo aos pecadores
e vosso reino aos bons

Antífona do Magníficat (Antífona do dia 16):  [nota: em todo salmo antifonado após rezar-se a antífona, inicia-se o salmo, terminando com o Glória ao Pai. Para no fim repetir a antífona. No caso do Magníficat, costuma-se fazer o sinal da Cruz ao dizer o "Magníficat" inicial.]
Tu es qui venturus es, an alium exspectamus?  Dícite Joanni, quae vidistis:  Ad lumen rédeunt caeci, mortui resúrgunt, páuperes evangelizántur, allelúia.
És tu o que há de vir ou devemos esperar outro?  Dizei a João o que vistes:  Os cegos vêem, os mortos ressuscitam e os pobres são evangelizados, aleluia.

Magníficat anima mea Dominum
Et exultávit spíritus meus in Deo salutari meo
Quia respexit humilitatem ancillae suae,
ecce enim ex hoc beatam me dicent omnes generationes.
Quia fecit mihi magna qui potens est, et sanctum nomen ejus.
Et misericórdia ejus a progenie in progenies, timentibus eum
Fecit potentiam in brachio suo, dispersit superbos mente cordis sui.
Depósuit potentes de sede et exaltávit húmiles.
Esurientes implévit bonis, et dívites dimísit inanes.
Suscepit Israel puerum suum recordatus misericórdiae suae.
Sicut locutus est ad patres nostros, Abraham et semini ejus in saecula.
Glória Patri et Filio et Spíritui Santo.
Sicut erat in princípio et nunc et semper et in saecula saeculórum.
Amém
Minha alma engrandece ao Senhor
E meu espírito exulta em Deus meu salvador.
Porque pôs os olhos na sua escrava,
eis que todas as gerações me chamarão bem-aventurada.
Grandes maravilhas fez em mim o Onipotente, cujo nome é santo.
Cuja misericórdia se estende de geração em geração, sobre todos os que O temem.
Manifestou a força do seu braço, dissipou aqueles que se orgulhavam nos seus pensamentos
Depôs do trono os poderosos e elevou os humildes
Encheu de bens aos famintos, deixou aos ricos vazios.
Protegeu Israel seu servo, lembrado de sua misericórdia.
Assim como prometera a nossos pais, a Abraão e a todos os seus descendentes.
Glória ao Pai ao Filho e ao Espírito Santo
Assim como era no princípio agora e sempre por todos os séculos dos séculos. Amém.
Repete-se a antífona do dia e segue-se para o seguinte versículo:
V/ Orvalhai do alto, ó céus, e que as nuvens chovam o justo
R/ Que a terra se abra e germine o Salvador
Oremos: (para todos os dias)
Benigníssimo Deus de infinita caridade, que tanto amastes os homens, que lhes destes, em vosso Filho, a maior prenda do vosso amor para que, feito homem nas entranhas de uma Virgem, nascesse em um presépio para nossa salvação e remédio; eu, pobre mortal, vos dou infinitas graças por tão soberano benefício.Em troca dele, vos ofereço a pobreza, a humildade e as demais virtudes do vosso Filho humanado, suplicando-vos por seus divinos méritos, pelo desconforto em que nasceu e pelas ternas lágrimas que derramou no presépio, disponhais nossos corações com humildade profunda, com amor ardente, com tal desprezo de tudo que é terreno, para que Jesus recém nascido encontre neles sua morada eterna. Amém.
Pai Nosso, Ave Maria e Glória.  

SEGUNDO DIA
Oração ( para todos os dias):
Ó Jesus vivendo em Maria
vinde viver em vosso servo
com o espírito de vossa santidade
com a plenitude de vossas forças
na retidão de vossos caminhos
na verdade de vossas virtudes
na comunhão de vossos mistérios
para dominar as forças adversas
com o vosso Espírito, para a glória do Pai. Amém.
Texto Bíblico (para meditação): São Lucas I,26-38
“Foi enviado por Deus o anjo Gabriel a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um varão que se chamava José, da casa de Davi, e o nome da Virgem era Maria.  E entrando o anjo onde ela estava disse-lhe:  Deus te salve, cheia de graça, o Senhor é contigo. Bendita és tu entre as mulheres.  E ela, tendo ouvido estas coisas, turbou-se com as suas palavras, e discorria pensativa que saudação seria esta.  E o anjo disse-lhe:  Não temas, Maria, pois achaste graça diante de Deus; eis que conceberás no teu ventre e darás à luz um filho e por-lhe-ás o nome de Jesus.  Este será grande, e será chamado Filho do Altíssimo e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi;  e reinará eternamente na casa de Jacó e o seu reino não terá fim.  E Maria disse ao anjo:  como se fará isso, pois eu não conheço varão?  E respondendo o anjo disse-lhe: o Espírito Santo descerá sobre ti e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra.  E por isso mesmo, o santo que há de nascer de ti, será chamado Filho de Deus. Eis que também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na sua velhice. E este é o sexto mês da que se diz estéril, porque a Deus nada é impossível.  Então disse Maria:  Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra.  E o anjo afastou-se dela.”
Hino Litúrgico
Ressoa clara a voz
que aos sonhos afugenta
Já perto para nós,
o Cristo se apresenta.  
Para que ao vir de novo
Julgar o mundo aflito
Proteja então seu povo
lembrando o seu grito.  
A alma entorpecida
sacode o vão torpor:
Já brilha o sol da vida
que vence a crua dor.  
Ao Pai e ao Filho glória
ao Espírito também
Louvor honra e vitória
nos séculos. Amém
Do céu desce o Cordeiro
que vem pagar por nós
Para o perdão ligeiro
ergamos nossa voz.  

Antífona do Magnificat (do dia 17 ao 23 as antífonas do Magníficat são as chamadas “antífonas Ó”, cantadas ao som dos sinos, nos mosteiros):
Ó sapientia quae ex ore Altíssimi prodiisti, attingens a fine usque ad finem, fórtiter suaviterque dispones omnia: Veni ad docendum nos viam prudentiae.
Ó sabedoria que saindo da boca do Altíssimo atinges o universo de uma extremidade a outra, e dispõe forte e suavemente todas as coisas: Vinde ensinar-nos o caminho da prudência.
E reza-se o Magníficat como no primeiro dia, repetindo-se no fim a antífona.
V/ , R/ e Oremos como no primeiro dia ;
Pai Nosso, Ave Maria e Glória.  
 TERCEIRO DIA
Oração ( para todos os dias):
Ó Jesus vivendo em Maria
vinde viver em vosso servo
com o espírito de vossa santidade
com a plenitude de vossas forças
na retidão de vossos caminhos
na verdade de vossas virtudes
na comunhão de vossos mistérios
para dominar as forças adversas
com o vosso Espírito, para a glória do Pai. Amém.
Texto Bíblico: (para meditação) São Lucas I,39-47
“E naqueles dias, levantando-se Maria, foi com pressa às montanhas a uma cidade de Judá.  E entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel.  E aconteceu que apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo e exclamou em alta voz e disse:  Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre.  E donde a mim esta dita, que a mãe do meu Senhor venha ter comigo?  Porque logo que a voz da tua saudação chegou aos meus ouvidos, o menino exultou de alegria no meu ventre. E bem-aventurada tu, que creste, porque se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas.  Então Maria disse: Minha alma engrandece o Senhor, e o meu espírito exulta em Deus meu Salvador.”
Hino Litúrgico:
Ó criador dos astros
Ó luz que tudo aquece
De todos Redentor,
escuta nossas preces.  
Ao simples ecoar
do nome teu eterno
Joelhos vão dobrar
o céu a terra o inferno.  
Ao ver compadecido
do mundo o imenso tédio
Só por amor descido,
a tudo dás remédio.  
Ó tu que voltarás
para julgar a tudo
Dá-nos agora a graça
na tentação escudo.  
Pois quando já dos tempos
a tarde anoitecia
Esposo tu saíste
do seio de Maria.  
Ao Pai e ao Filho a glória
Ao espírito também
Louvor honra e vitória
nos séculos. Amém.  
Antífona do Magníficat: (dia 18)
Ó Adonai et dux domus Israel, qui Moysi in igne flammae rubi apparuisti, et ei in Sina legem dedisti:  Veni ad redimendum nos in brachio extento.
Ó Adonai chefe da casa de Israel, que apareceste a Moisés na sarça em fogo e deste-lhe no Sinai a lei: Vinde resgatar-nos com teu braço poderoso.
E reza-se o Magníficat como no primeiro dia, repetindo-se no fim a antífona.
V/ , R/ e Oremos como no primeiro dia ;
Pai Nosso, Ave Maria e Glória.  
QUARTO DIA  
Oração (para todos os dias):
Ó Jesus vivendo em Maria
vinde viver em vosso servo
com o espírito de vossa santidade
com a plenitude de vossas forças
na retidão de vossos caminhos
na verdade de vossas virtudes
na comunhão de vossos mistérios
para dominar as forças adversas
com o vosso Espírito, para a glória do Pai. Amém.
Texto Bíblico: (para meditação) São Lucas I,67-79 (O nascimento de S. João Batista)
“E Zacarias, seu pai, foi cheio do Espírito Santo e profetizou dizendo:  Bendito seja o Deus de Israel, porque visitou e resgatou o seu povo.  E suscitou uma força para nos salvar, na casa de seu servo Davi.  Conforme anunciou pela boca dos seus santos, de seus profetas, desde os tempos antigos; para nos livrar dos nossos inimigos e das mãos de todos os que nos odeiam. Para exercer a sua misericórdia a favor de nosso pai Abraão, de nos conceder que, livres das mãos dos nossos inimigos, o sirvamos sem temor, com uma santidade e uma justiça digna dos seus olhares, durante todos os dias da nossa vida.  E tu, menino, serás chamado o profeta do Altíssimo, porque irás diante da face do Senhor a preparar os seus caminhos, para dar ao seu povo o conhecimento da salvação para a remissão dos seus pecados;  pelas entranhas da misericórdia do nosso Deus, graças à qual nos visitou do alto o Sol nascente, para iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte; para dirigir os nossos pés no caminho da paz.”
Hino Litúrgico:
Filho unigênito
Cristo Redentor
Que estás no princípio
nasce no louvor.  
 O céu, terra e mar
tudo que aí está
canta com louvor
na vida do Senhor  
Luz esplendor do Pai
de todos a esperança
As preces escutai,
dos que têm confiança.  
Lavados que fomos
no Sangue Redentor
Cantamos de novo
no Natal do Senhor.  
Ó Salvador lembrai
que da Virgem recebeste
Nascendo pobremente
um corpo como o nosso.  
Ao Pai e ao Filho a glória
ao Espírito também
Louvor honra e vitória
nos séculos. Amém.  
O dia presente
que volta no ano
Vem ele do Pai
envolto em panos.  

Antífona do Magníficat (dia 19)
Ó radix Jesse que stas in signum populórum, super quem continébunt reges os suum, quem gentes deprecabuntur:  Veni ad liberandum nos, iam noli tardare.
Ó raiz de Jessé que te ergues como um estandarte para os povos, diante de quem se calarão os reis, e a quem as nações pedirão clemência:  Vinde libertar-nos, não tardeis.
E reza-se o Magníficat como no primeiro dia, repetindo-se no fim a antífona.
V/ , R/ e Oremos como no primeiro dia ;
Pai Nosso, Ave Maria e Glória.
QUINTO DIA  
Oração (para todos os dias):
Ó Jesus vivendo em Maria
vinde viver em vosso servo
com o espírito de vossa santidade
com a plenitude de vossas forças
na retidão de vossos caminhos
na verdade de vossas virtudes
na comunhão de vossos mistérios
para dominar as forças adversas
com o vosso Espírito, para a glória do Pai. Amém.
Texto Bíblico: (para meditação) São Mateus I,18-25
“Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi deste modo: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, achou-se ter concebido do Espírito Santo, antes de coabitarem.E José, seu esposo, sendo justo e não querendo difama-la, resolveu deixá-la secretamente. Ora, andando ele como isto no pensamento, eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos dizendo:José, filho de Davi, não temas receber Maria como tua esposa, porque o que nela foi concebido, é obra do Espírito Santo. E dará a luz um filho ao qual porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.
Ora, tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito pelo Senhor por meio do profeta, que diz: Eis que a Virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamarão pelo nome de Emanuel, que quer dizer Deus conosco.
E despertando José do sono, fez como lhe tinha mandado o anjo do Senhor, e recebeu sua esposa. E não a conhecia; e ela deu à luz seu filho primogênito e pôs-lhe o nome de Jesus.”
Hino Litúrgico:
Do raiar da aurora
até o sol se pôr,
Da Virgem mãe nascido
saudemos o Senhor.  
Por Gabriel predito
já nasce onipotente
A luz é dada à luz
que João nas trevas sente.  
O Criador do mundo
um corpo vil tomou;
A carne salva a carne
não perca os que criou.  
Presépio não desprezas
palha achas suave
De leite quis nutrir-se
quem alimenta as aves.  
Da Virgem mãe no seio
o sol do céu penetra
Presença preciosa
carrega em si secreta.  
Anjos do céu começam
seus cantos de louvor,
Pastores reconhecem
de todos o Pastor  
Da mãe o puro peito
templo do céu se faz
Homem desconhecendo
o próprio Deus nos traz.  
Louvor e honra ao Filho
que nasceu da Virgem
Com o Pai e o Santo Espírito
nos séculos . Amém.  
Antífona do Magníficat (dia 20):
Ó clavis David et sceptrum domus Israel, qui áperis et nemo claudis, et nemo áperit; Veni et educ vinctum de domo cárceris, sedéntem in ténebris et umbra mortis.
Ó chave de Davi e cetro da casa de Israel, que abres e ninguém fecha, que fechas e ninguém abre. Vinde tirar do cárcere o prisioneiro que está nas trevas e na sombra da morte.
E reza-se o Magníficat como no primeiro dia, repetindo-se no fim a antífona.
V/ , R/ e Oremos como no primeiro dia ;
Pai Nosso, Ave Maria e Glória.  
 SEXTO DIA
Oração (para todos os dias):
Ó Jesus vivendo em Maria
vinde viver em vosso servo
com o espírito de vossa santidade
com a plenitude de vossas forças
na retidão de vossos caminhos
na verdade de vossas virtudes
na comunhão de vossos mistérios
para dominar as forças adversas
com o vosso Espírito, para a glória do Pai. Amém.
Texto Bíblico: (para meditação) São Lucas II,1-20
“E naqueles dias, saiu um édito de César Augusto, para que se fizesse o recenseamento de todo o mundo.  Este primeiro recenseamento foi feito por Cirino, governador da Síria.  E iam todos recensear-se, cada um à sua cidade.  E José foi também da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, que se chamava Belém, porque era da casa da família de Davi, para se recensear juntamente com Maria, sua esposa, que estava grávida.  E estando ali, aconteceu completarem-se os dias em que devia dar à luz.  E deu à luz o seu filho primogênito e o enfaixou e reclinou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
Ora, naquela mesma região, havia uns pastores que velavam e faziam de noite a guarda ao seu rebanho,  E eis que apareceu junto deles um anjo do Senhor e a claridade de Deus os cercou, e tiveram grande temor.  Porém o anjo disse-lhes:  Não temais; porque eis que vos anuncio uma grande alegria, que terá todo o povo.  Nasceu-vos na cidade de Davi um Salvador, que é o Cristo Senhor,  E eis o sinal:  encontrareis um menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.
E subitamente apareceu com o anjo uma multidão da milícia celeste, louvando a Deus e dizendo:  Glória a Deus no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens de boa vontade.  E depois que os anjos se retiraram deles para o céu, os pastores diziam entre si:  vamos até Belém e vejamos o que lá sucedeu e o que é que o Senhor nos manifestou. E foram com grande pressa e encontraram Maria e José e o menino, deitado na manjedoura.  E vendo isto, conheceram o que lhes tinha sido dito acerca deste menino.  E todos os que ouviram, se admiravam das coisas que lhes diziam os pastores.  Ora, Maria conservava todas estas coisas, meditando-as no seu coração.  E os pastores voltaram glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, conforme lhes tinha sido dito.”
Hino Litúrgico:  
Ó redentor de todos
Ó Luz antes da luz,
Só pelo Pai gerado
igual ao Pai, Jesus.  
A terra, a estrela, o mar
aquilo que o céu cobre
cantam o rei que salva
e nasce como pobre.  
Do Pai és esplendor
de todos a esperança
Escuta pois o grito
que toda a terra lança.  
E nós a quem lavou
a água batismal
do Sangue teu nascidos
cantemos teu Natal.  
Recorda ó Criador
que nosso corpo um dia
nascendo tu tomaste
no seio de Maria.  
Louvor e honra ao Filho
que pela Virgem vem
No Espírito és brilho
do Pai eterno. Amém.  
O dia de hoje atesta
em cada ano novo
que do Pai desceste
para salvar o povo.  

Antífona do Magníficat (dia 21):
Ó Oriens, splendor lucis aeternae et sol justitiae: Veni et ilúmina sedentes in ténebris et umbra mortis.
Ó Oriente, esplendor da luz eterna e Sol de justiça: Vinde e iluminai os que jazem nas trevas e na sombra da morte.
E reza-se o Magníficat como no primeiro dia, repetindo-se no fim a antífona.
V/ , R/ e Oremos como no primeiro dia ;
Pai Nosso, Ave Maria e Glória.
SÉTIMO DIA
Oração (para todos os dias):
Ó Jesus vivendo em Maria
vinde viver em vosso servo
com o espírito de vossa santidade
com a plenitude de vossas forças
na retidão de vossos caminhos
na verdade de vossas virtudes
na comunhão de vossos mistérios
para dominar as forças adversas
com o vosso Espírito, para a glória do Pai. Amém.
Texto Bíblico: (para meditação) São Mateus II,1-12
“Tendo, pois, nascido Jesus em Belém de Judá, reinando o rei Herodes, eis que uns magos chegaram do Oriente a Jerusalém dizendo:  Onde está o rei dos Judeus, que acaba de nascer?  Porque nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.  E ouvindo isto o rei Herodes turbou-se e toda Jerusalém com ele.  E convocando todos os príncipes dos sacerdotes e os escribas do povo, perguntava-lhes onde havia de nascer o Cristo.  E eles disseram-lhe:  em Belém de Judá; porque assim foi escrito pelo profeta:  E tu Belém, terra de Judá, não és a mínima entre as principais de Judá, porque de ti sairá o chefe que há de comandar Israel meu povo.
Então Herodes tendo chamado secretamente os magos inquiriu deles cuidadosamente que tempo havia que lhes tinha aparecido a estrela; e enviando-os a Belém disse-lhes:  ide e informai-vos bem acerca do menino e quando o encontrardes, comunicai-mo a fim de que também eu o vá adorar.
E eles, tendo ouvido as palavras do rei partiram; e eis que a estrela que tinham visto no Oriente ia adiante deles até que, chegando sobre onde estava o menino, parou. Vendo novamente a estrela ficaram possuídos de grandíssima alegria. E entrando na casa, encontraram o menino com Maria, sua mãe e prostrando-se o adoraram; e abrindo seus tesouros lhe ofereceram como presentes ouro, incenso e mirra. E tendo recebido aviso em sonhos para não tornarem a Herodes, voltaram por outro caminho para seu país.”
Hino (de origem espanhola)
Meu doce Jesus
criança adorada
Vinde em nossas almas
vinde sem tardar.  
Sagrada raiz
de Jessé a Flor
abençoai o orbe
de agradável odor.  
Sabedoria suma
do Deus soberano
que como criança
pequeno vos fez.  
Vinde em nossas almas
vinde sem tardar.  
Vinde em nossas almas
vinde sem tardar  
Doce criança
que fostes chamada
Lírio dos vales
Bela Flor dos campos.
Ó Deus menino
vinde ensinar-nos
a prudência que faz
a marca dos sábios.  
Vinde em nossas almas
vinde sem tardar
Vinde em nossas almas
vinde sem tardar.

Antífona do Magníficat (dia 22)
Ó Rex gentium et desideratus earum, lapisque angularis, qui facis utratque unum: Veni e salva hominem, quem de limo formasti.
Ó Rei das nações, delas desejado, Pedra angular que unifica tudo: Vinde salvar o homem que do limo formastes.
E reza-se o Magníficat como no primeiro dia, repetindo-se no fim a antífona.
V/ , R/ e Oremos como no primeiro dia ;
Pai Nosso, Ave Maria e Glória.  
OITAVO DIA
Oração (para todos os dias):
Ó Jesus vivendo em Maria
vinde viver em vosso servo
com o espírito de vossa santidade
com a plenitude de vossas forças
na retidão de vossos caminhos
na verdade de vossas virtudes
na comunhão de vossos mistérios
para dominar as forças adversas
com o vosso Espírito, para a glória do Pai. Amém.  
Texto Bíblico: (para meditação) São Mateus II,13-23
“Tendo eles partido (os magos), eis que um anjo do Senhor apareceu em sonhos a José e lhe disse: Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito e fica lá até que eu te avise; porque Herodes vai procurar o menino para o matar. E ele levantando-se, tomou de noite o menino e sua mãe e retirou-se para o Egito. E lá esteve até a morte de Herodes, cumprindo-se deste modo o que tinha sido dito pelo Senhor por meio do profeta, que disse: Do Egito chamarei meu filho. Então Herodes, vendo que tinha sido enganado pelos magos, irou-se em extremo e mandou matar todos os meninos que havia em Belém e em todos os seus arredores, da idade de dois anos para baixo, segundo a data que tinha averiguado dos magos. Então se cumpriu o que estava predito pelo profeta Jeremias, que diz: Uma voz se ouviu em Ramá, grandes prantos e lamentações: Raquel chorando os seus filhos, sem admitir consolações, porque já não existem.
Morto Herodes, eis que o anjo do Senhor apareceu em sonhos a José no Egito, dizendo: Levanta-te, toma o menino e sua mãe e vai para a terra de Israel, porque morreram os que procuravam a vida do menino. E ele, levantando-se, tomou o menino e sua mãe e foi para a terra de Israel. Mas ouvindo dizer que Arquelau reinava na Judéia em lugar de seu pai Herodes, temeu ir para lá; e avisado em sonhos, retirou-se para a Galiléia. E indo para lá, habitou na cidade que se chama Nazaré, cumprindo-se deste modo o que tinha sido predito pelos profetas: Será chamado Nazareno.”
Hino (de origem espanhola)  
Luz do Oriente
de raios eternos
que entre as trevas
nos mostra esplendor.  
Vem que Maria
recebe em seus braços
seu filho que nasce
O tempo chegou.  
Rei das nações
Ó Emanuel
és o desejado
pastor do rebanho.  
Vem que José
com desejo sacro
arruma o sacrário
do teu amor.  
Apascenta, criança
com suave cajado
a ovelha arisca
e o cordeiro manso.  
Vinde em nossas almas
vinde sem tardar.  
Antífona do Magníficat(dia 23)
Ó Emmanuel rex et legifer noster, expectactio gentium et Salvator earum: Veni ad salvandum nos, Domine Deus noster.
Ó Emanuel, rei e salvador nosso; esperança das nações e seu salvador: Vinde para salvar-nos Senhor nosso Deus.
E reza-se o Magníficat como no primeiro dia, repetindo-se no fim a antífona.
V/ , R/ e Oremos como no primeiro dia ;
Pai Nosso, Ave Maria e Glória.  

 NONO DIA
Oração (para todos os dias):
Ó Jesus vivendo em Maria
vinde viver em vosso servo
com o espírito de vossa santidade
com a plenitude de vossas forças
na retidão de vossos caminhos
na verdade de vossas virtudes
na comunhão de vossos mistérios
para dominar as forças adversas
com o vosso Espírito, para a glória do Pai. Amém.  
Texto Bíblico: (para meditação) São João I,1-14
A importânica literária, teológica e espiritual deste prólogo de São João deve levar-nos a meditá-lo com atencão, no final de cada santa missa.
“No princípio era o Verbo e o Verbo estava em Deus e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio em Deus.Todas as coisas foram feitas por ele e nada do que foi feito, foi feito sem ele. Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens.
E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.
Houve um homem enviado por Deus que se chamava João.
Este veio como testemunha para dar testemunho da luz, a fim de que todos cressem por meio dele.
Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz.
Era a luz verdadeira, a que ilumina todo o homem que vem a este mundo.
Estava no mundo e o mundo foi feito por ele e o mundo não o conheceu.
Veio para o que era seu e os seus não o receberam.
Mas a todos os que o receberam, deu poder de se tornarem filhos de Deus,
àqueles que crêem no seu nome;
os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne nem da vontade do homem, mas de Deus.
E o Verbo se fez carne e habitou entre nós;
e nós vimos a sua glória, glória como de Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.”
Hino Litúrgico:  
Belém cidade única
só tu pudeste ver
O salvador do céu
na terra homem nascer.  
Ao Rei se dá o ouro
Ao Deus o incenso puro
mas fala do sepulcro
da mirra o pó escuro.  
Brilhante nova estrela
que vence a luz do dia
Ter vindo à terra Deus
aos homens anuncia.  
Louvor ao que aparece
aos povos em Belém
Unido ao Pai e ao Espírito
nos séculos. Amém.  
Ao vê-la os magos partem
repartem seu tesouro
Prostrados oferecem
incenso mirra e ouro.  

Antífona do Magníficat (dia 24):
Cum ortus fúerit sol de caelo, vidébitis Regem regum procedentem a Patre tanquam sponsum de thálamo suo.
Logo que no céu nascer o sol, vereis o Rei dos reis, vindo do Pai, como o esposo do seu tálamo.
E reza-se o Magníficat como no primeiro dia, repetindo-se no fim a antífona.
V/ , R/ como no primeiro dia ;
Oração para o último dia:
Concedei, ó Deus onipotente, que a novidade do Natal do vosso Filho Unigênito, feito homem, liberte da antiga escravidão aos que estão retidos pelo pecado. Pelo mesmo Jesus Cristo Nosso Senhor.Amém.
Pai Nosso, Ave Maria e Glória.  


quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

8 de dezembro: Imaculada Conceição

Irrompa nova alegria,
ressoem cantos de amor:
da velha Ana no seio
palpita a Mãe do Senhor.

Maria, glória do mundo,
de graça é plena de luz:
por culpa alguma atingida
serás a Mãe de Jesus.

Nascemos todos manchados
pela culpa original:
somente tu e teu Filho
sois livres de todo mal.

Davi, num só arremesso,
derruba o gigante ao chão:
teu "Sim" atinge na fronte
a causa da perdição.

Ó pomba suave e humilde,
brilhante mais do que o sol:
da paz nos trazes o ramo,
voando em pleno arrebol.

Louvor e honra ao Deus trino,
que tanto e tanto te amou,
pois antes já do pecado
da culpa te preservou!

(Liturgia das Horas)

domingo, 4 de dezembro de 2011

2° Domingo do Advento: "Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas veredas." (Mc 1,3)

Estamos adentrando na segunda semana do advento, tempo de preparar a vinda do Senhor à nossa realidade, mostrando que Deus jamais esquece de nós.
"As leituras deste domingo, trazem palavras de consolo e conforto para nosso coração, e também nos convida a prepararmos os caminho do Senhor, e isto se dá pela perseverança na fé e no amor, sendo sinais da presença de Deus, como João Batista, que pregava uma conversão absoluta, uma mudança radical de mentalidade e atitudes interiores se traduzindo numa nova conduta de cada um, tendo como motivo a chegada do Senhor, para plenificar todas as coisas."( Deus conosco dia-a-dia/Dez 2011)
Que Deus possa nos conceder a graça de abrirmos nosso coração para acolher o Senhor que vem transformar todas as estruturas de nossas vidas, tudo  o que é treva, maldade, injustiça, tudo àquilo que não é compatível com seu projeto de salvação.
Boa semana de advento!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Misericórdia em Gotas

Quando vejo que o peso ultrapassa as minhas forças, não penso sobre isso, não analiso, nem me aprofundo, mas recorro como uma criança ao Coração de Jesus e digo-Lhe uma palavra apenas: a Vós tudo é possível … ” (Diário de Santa Faustina, p. 1033)

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Misericórdia em Gotas

"Ó meu Senhor, inflamai o meu amor para Convosco, para que em meio às tempestades, sofrimentos e provações o meu espírito não desfaleça." (Santa Faustina D. 94)

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Misericórdia em Gotas

O silêncio é como uma espada na luta espiritual. A alma silenciosa é forte; nenhuma adversidade a prejudicará, se perseverar no silencio. A alma recolhida é capaz da mais profunda união com Deus, ela vive quase sempre sob a inspiração do Espírito Santo. Deus opera sem obstáculo na alma silenciosa”.  (Diário de Sta Faustina, p. 477)

domingo, 6 de novembro de 2011

Sede Santos

A Igreja no Brasil celebra neste dia 6 de novembro, a Solenidade de todos os santos, ou seja, celebramos todos aqueles que estão na glória de Deus intercedendo por nós que ainda militamos nesta terra.
No fim do segundo século, professos cristãos começaram a honrar  os que haviam sido martirizados por causa da sua fé e, a eles que estavam com Cristo no Céu  oravam para que intercedessem a seu favor. A comemoração regular começou quando, em 13 de maio de 609 D.C., o Papa Bonifácio IV dedicou o Panteão (templo romano em honra a todos os deuses) a Maria e a todos os mártires. A data foi mudada para novembro quando o Papa Gregório III (731-741 d. C.) dedicou uma capela em Roma a todos os santos e ordenou que fossem venerados em 1° de novembro.
Hoje, a Igreja não celebra a santidade de um cristão que se encontra no Céu, mas sim, de todos. Isto, para mostrar concretamente, a vocação universal de todos para a felicidade eterna.

"Todos os fiéis cristãos, de qualquer estado ou ordem, são chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade. Todos são chamados à santidade: 'Deveis ser perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito' "(Mt 5,48) (CIC 2013).

Sendo assim, nós passamos a compreender o início do sermão do Abade São Bernardo: "Para que louvar os santos, para que glorificá-los? Para que, enfim, esta solenidade? Que lhes importam as honras terrenas? A eles que, segundo a promessa do Filho, o Pai celeste glorifica? Os santos não precisam de nossas homenagens. Não há dúvida alguma, se veneramos os santos, o interesse é nosso, não deles".
Todos estes combatentes de Deus, merecem nossa imitação, pois foram adolescentes, jovens, homens casados, mães de família, operários, empregados, patrões, sacerdotes, pobres mendigos, profissionais, militares ou religiosos que se tornaram um sinal do que o Espírito Santo pode fazer num ser humano que se decide a viver o Evangelho que atua na Igreja e na sociedade. Portanto, a vida destes acabaram virando proposta para nós, uma vez que passaram fome, apelos carnais, perseguições, alegrias, situações de pecado, profundos arrependimentos, sede, doenças, sofrimentos por calúnia, ódio, falta de amor e injustiças; tudo isto, e mais o que constituem o cotidiano dos seguidores de Cristo que enfrentam os embates da vida sem perderem o entusiasmo pela Pátria definitiva, pois "não sois mais estrangeiros, nem migrantes; sois concidadãos dos santos, sois da Família de Deus" (Ef 2,19).  

Neste dia a Mãe Igreja faz este apelo a todos nós, seus filhos: "O apelo à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade se dirige a todos os fiéis cristãos." "A perfeição cristã só tem um limite: ser ilimitada" (CIC 2028).

Santos e santas de Deus, rogai por nós!

Santo da Semana: São Josafá

Festa: 12 de novembro


São Josafá, rogai por nós!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

A graça de morrer

Estamos sempre morrendo. Cada minuto que passa é uma pequena morte que acontece. Não morremos apenas nos minutos, mas também nos acontecimentos. Morremos para tudo que fazemos e a estas mortes nós chamamos de 'passado' ou 'nossa história', e disto temos saudades.
Quanto mais envelhecemos, mais vamos alimentando saudades das pequenas mortes que foi nossa vida. Até que, um dia, acabamos de vez de ter saudades da vida e se instala, em nós, definitivamente, como desafio último, a saudade de Deus. A isto chamamos de morte.
Morrer é voltar para Deus e isto o fazemos desde o instante em que nascemos. Nascemos cheios de cuidados e morremos na impotência, mas cheios dos cuidados de Deus. Ultrapassada a porta final desta vida, vamos encontrar um grande e bom Pai, de braços abertos, com um grande sorriso, nos dizendo e perguntando: " Que bom que você voltou! Como é que foi a vida, meu filho?". E nós diremos: "Foi ótima! Mas bom mesmo é estar, agora, aqui! Contigo!
                                     
Frei Neylor J. Tonin, OFM

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Benigna Cardoso: Tudo pela pureza!

Benigna Cardoso Silva, menina franzina, nascida na localidade de Inhumas, em Santana do Cariri-CE, é lembrada  em sua região por defender sua virgindade quando, com apenas 13 anos, é assassinada por um rapaz que lhe fez propostas amorosas recusadas de forma categórica pela mocinha. Tresloucado, Raul (nome do assassino), sacou de uma faca que trazia e golpeou por três vezes a pobre menina. Este fatídico ato, ocorreu no dia 24 de outubro de 1941, sendo que desde esse ano, a população de Santana do Cariri a venerá-la e chamá-la de "A Santa Mártir".
Para que Benigna se torne uma mártir, será necessário que a Comissão consiga descobrir elementos que comprovem sua vida cristã. Atualmente, os membros buscam descobrir fontes com os registros da primeira eucaristia e crisma da menina, mas, até agora, o que se sabe é que Benigna assistia a missas todos as primeiras sexta-feiras de cada mês.
Segundo o monsenhor Mattioli Vitaliano, responsável por encaminhar os documentos ao Vaticano para o processo de beatificação, as chances de Benigna ser a primeira beata do Ceará são grandes. "Estamos nos esforçando ao máximo para beatificar a menina. As possibilidades de conseguirmos são bastante altas. Iremos entregar o processo ao Vaticano em duas etapas, esperamos que não demore muito, pois com certeza uma mártir ela foi", revela.
Ainda de acordo com ele, é importante que a população questione o respeito da devoção a menina que morreu para defender sua castidade. Para ele, a romaria não é apenas uma celebração da lembrança social, mas uma reavaliação da virtude da pureza.
Padre Christiano Coêlho, vigário por décadas de Santana do Cariri, já falecido, escreveu, ao lado dos dados de nascimento de Benigna, no Livro de Batizados da Paróquia: “Morreu martirizada às 4 horas da tarde do dia 24 de outubro de 1941 no sítio Oiti. Heroína da Castidade. Que sua santa alma converta a freguezia e viva de proteção às crianças e às famílias da paróquia. São os votos que faço da nossa santinha”.
Louvemos ao Senhor por tamanho ato de virtude e rezemos para que Benigna seja beatificada pela Igreja o quanto antes.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Canonização de três novos santos

Três santos solenemente proclamados pelo Papa neste domingo(23/10/11), numa Eucaristia na praça de São Pedro. Dois italianos e uma espanhola, que viveram entre o séc. XIX e XX, dando origem a congregações religiosas: D. Guido Maria Conforti, bispo, que fundou os Missionários Xaverianos; o popular padre Luigi Guanella, fundador dos Servos da Caridade e das Filhas de Santa Maria da Providência; e Madre Bonifácia Rodriguez de Castro, fundadora das Servas de São José.

Na homilia, comentando o Evangelho em que Jesus recorda que o primeiro mandamento é amar a Deus com todo o coração e todas as forças, Bento XVI observou que, de facto, “a principal exigência para cada um de nós é que Deus esteja presente na nossa vida”. “Como diz a Escritura (Deus) deve penetrar todos os extratos do nosso ser, preenchendo-os completamente: o coração deve saber d’Ele, deixar-se tocar por Ele, e assim também a alma, as energias do nosso querer e decidir , e ainda a inteligência e o pensamento. É um poder dizer, como são Paulo: ‘não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim’.”
“Declarando que o segundo mandamento é semelhante ao primeiro, Jesus dá a entender que a caridade para com o próximo é importante quanto o amor a Deus”.
De facto, o sinal visível que o cristão pode dar para testemunhar ao mundo o amor de Deus é o amor aos irmãos. Como aparece então providencial o facto de que precisamente hoje a igreja indique a todos os seus membros três novos Santos, que se deixaram transformar pela caridade divina e a ela conformaram toda a sua existência. Em diversas situações e com diferentes carismas, eles amaram o Senhor com todo o coração e ao próximo como a sai mesmos, tornando-se modelo para todos os crentes”.

Evocando, um a um, o exemplo particular de cada um dos três santos, o Papa começou por evocar o caso do bispo D. Guido Conforti, que desde novo tomou a firme decisão de seguir a vontade de Deus, correspondendo em tudo àquela “caritas Christi” que contemplava no Crucifixo: “Ele sentiu fortemente a urgência de anunciar este amor a todos os que o não o haviam ainda recebido. O lema ‘Caritas Christi urget nos’ sintetiza o programa do Instituto Missionário a que deu vida: uma família religiosa inteiramente ao serviço da evangelização, sob o patrocínio do grande apóstolo do Oriente, São Francisco Xavier”.

Relativamente ao padre Luigi Guanella, “um novo santo da caridade” (disse), o Papa sublinhou precisamente o imenso amor que o levou a dedicar-se a todos os carenciados, como aqueles de que falava a primeira leitura da missa:
“O testemunho humano e espiritual de São Luigi Guanella é para toda a Igreja um particular dom de graça. Durante a sua existência terrena ele viveu com coragem e determinação o Evangelho da Caridade, o ‘grande mandamento’ que também hoje a Palavra de Deus nos recordou”. “Queremos hoje louvar e dar graças ao Senhor porque em são Luís Guanella nos deu um profeta e um apóstolo da caridade. No seu testemunho, tão denso de humanidade e de atenção aos últimos, reconhecemos um sinal luminoso da presença e da ação benéfica de Deus”. Bento XVI fez votos de que este “novo Santo da caridade” seja para todos “modelo de profunda e fecunda síntese entre contemplação e ação”, tal como ele próprio a viveu. “É o amor de Cristo que ilumina a vida de cada homem, revelando como no dom de si ao outro nada se perde, mas se realiza plenamente a nossa verdadeira felicidade.”.

Finalmente, o exemplo de Santa Bonifácia que soube valorizar a dignidade do trabalho manual, quotidiano, com a humildade e simplicidade da vida de Nazaré. “A nova santa apresenta-se-nos como um modelo acabado em que ressoa o trabalho de Deus, um eco que chama as suas filhas, as Servas de São José, e também a todos nós, a acolher o seu testemunho com a alegria do Espírito Santo, sem temer a contrariedade, difundindo em todas as partes a Boa Notícia do Reino dos céus”.

No final da celebração, já passado o meio-dia, antes da recitação das Ave-Marias, Bento XVI saudou os muitos peregrinos vindos a Roma para participar nestas canonizações. Dirigindo-se às autoridades civis e religiosas e aos fiéis provenientes da Itália, o Papa congratulou-se com mais dois extraordinários exemplos de vida cristã hoje proclamados santos: “Mais uma vez a Itália ofereceu à Igreja e ao mundo luminosos testemunhos do Evangelho. Demos por isso graças a Deus e rezemos para que nesta nação a fé não cesse de renovar-se e de produzir bons frutos”.

Uma saudação também aos peregrinos de língua espanhola: “Que o exemplo e intercessão destas preclaras figuras, preciosos dons para a Igreja, impulsionem todos a renovarem o compromisso de viver de todo o coração a fé em Cristo, testemunhando-O nos diferentes âmbitos da sociedade”.

A concluir, antes das Ave Marias, Bento XVI confiou à intercessão de Nossa Senhora a Jornada de reflexão, diálogo e oração pela justiça e paz no mundo, que terá lugar na próxima quinta-feira, dia 27, em Assis, a 25 anos da que foi convocada por João Paulo II.

Fonte: Rádio Vaticano

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Ano da Fé

O Vaticano divulgou a Carta Apostólica com a qual o Papa Bento XVI proclama o Ano da Fé. O documento, intiulado Porta Fidei - A porta da Fé, foi assinado pelo Pontífice em 11 de outubro, mas foi divulgado na manhã desta segunda-feira, 17.

"A PORTA DA FÉ, que introduz na vida de comunhão com Deus e permite a entrada na sua Igreja, está sempre aberta para nós.É possível cruzar este limiar, quando a Palavra de Deus é anunciada e o coração se deixa plasmar pela graça que transforma", indica o Santo Padre no início do texto.
O Ano da Fé iniciará em 11 de outubro de 2012, no 50º aniversário de abertura do Concílio Vaticano II, e terminará em 24 de novembro de 2013, Solenidade de Cristo Rei do Universo. "Será um momento de graça e de empenho para uma sempre mais plena conversão a Deus, para reforçar a nossa fé n'Ele e para anunciá-Lo com alegria ao homem do nosso tempo", explicou o Papa durante a Missa de encerramento do Encontro Novos Evangelizadores para a Nova Evangelização, que presidiu neste domingo, 16, na Basílica Vaticana.
Bento XVI salienta que atravessar a porta da fé é embrenhar-se num caminho que dura a vida inteira. "Este caminho tem início com o Batismo, pelo qual podemos dirigir-nos a Deus com o nome de Pai, e está concluído com a passagem através da morte para a vida eterna", indica.
Por Leonardo Meira
Fonte: Canção Nova Notícias